22 de novembro de 2015
Textual description of firstImageUrl

#UmAbraçoEmMariana - blogueiros de viagem da RBBV em ação

Post atualizado em 11 de setembro de 2017
#UmAbraçoEmMariana - blogueiros de viagem da RBBV em ação

#UmAbraçoEmMariana - blogueiros de viagem da RBBV em ação

Por Daniela Almeida
RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES POR E-MAIL

Não sobrou nada: casas, carros, plantações, animais, recordações. Não sobrou história para os quase 600 moradores de Bento Rodrigues. O distrito de Mariana, em Minas Gerais, foi completamente soterrado depois que duas barragens de minério de ferro, de propriedades da mineradora Samarco, se romperam no dia 5 de novembro de 2015. 

Além do vilarejo, a lama também invadiu as águas do Rio Doce, um dos mais importantes da região, que corta cerca de 600 quilômetros entre municípios de Minas Gerais e Espírito Santo. O abastecimento foi suspenso e a população de cidades como Colatina e Governador Valadares ficou sem água.

Blogueiros de viagem em Ação - RBBV

Como, em um primeiro momento, Mariana recebeu milhares de doações vindas de diversas partes do Brasil, a prefeitura suspendeu o recebimento, temporariamente, por conta da quantidade de donativos que precisam ser organizados para a distribuição.

Com essa suspensão, neste momento, o foco é a população das cidades ao longo da Bacia do Rio Doce, que ainda carece de água.

Por conta disso, os blogueiros da Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem, da qual nós do D&D Mundo Afora fazemos parte, se uniram para organizar uma grande campanha, intitulada #UmAbraçoEmMariana

Nela, os bloggers postaram em suas páginas e redes sociais posts relacionados ao turismo em Mariana para que os visitantes não deixem de conhecer a cidade que deu origem a Minas Gerais. O turismo é uma das formas que pode ajudar o município economicamente.


#UmAbraçoEmMariana - blogueiros de viagem da RBBV em ação
#UmAbraçoEmMariana - blogueiros de viagem da RBBV em ação


Além disso, foi organizada uma Vakinha on line (a campanha está encerrada) com intuito de arrecadar verba para compra de água mineral. Graças à ajuda de milhares de pessoas, a meta inicial de R$ 8 mil foi superada e hoje (22 de novembro) já foram arrecadados mais de 13 mil reais.

Na primeira remessa (dia 17 de novembro), 100 galões com 20 litros de água foram comprados e entregues à rede de Supermercados Verdemar, de Belo Horizonte. A rede ficou responsável por entregar à Cruz Vermelha e às igrejas, que distribuirão aos moradores da região de Governador Valadares. A blogueira Camila Navarro, do blog Viaggiando, foi quem fez a compra em nome da RBBV.


#UmAbraçoEmMariana - blogueiros de viagem da RBBV em ação
#UmAbraçoEmMariana - blogueiros de viagem da RBBV em ação


Ontem, dia 21 de novembro, o Deivson Santana, do blog Capixaba na Estrada, comprou, também com o dinheiro da vaquinha, outros 300 galões que foram entregues ao Corpo de Bombeiros para distribuição em Colatina, Espírito Santo.


#UmAbraçoEmMariana - blogueiros de viagem da RBBV em ação
#UmAbraçoEmMariana - blogueiros de viagem da RBBV em ação

#UmAbraçoEmMariana - blogueiros de viagem da RBBV em ação
#UmAbraçoEmMariana - blogueiros de viagem da RBBV em ação

A campanha continua e quem ainda não colaborou pode fazer, acessando o link da vaquinha de ajuda às vítimas da tragédia de Mariana/Rio Doce.

Entenda a tragédia em Mariana

No dia 5 de novembro, duas barragens próximas a Bento Rodrigues, em Mariana, se romperam. A lama de rejeitos invadiu o distrito e, das quase 200 casas, pouquíssimas ainda estão de pé. Dados de hoje (11 de novembro) apontam que 12 pessoas morreram e outras 12 ainda estão desaparecidas. Em 18 de agosto de 2016, os dados atualizados eram: 23 pessoas mortas e uma ainda não encontrada.

Foram 62 milhões de metros cúbicos de rejeitos despejados sobre o vilarejo. A tragédia só não foi maior porque aconteceu durante o dia. 


Bento Rodrigues Mariana MG
Crédito: Foto de Christophe Simon / AFP 

De acordo com especialistas, será preciso centenas de anos para que o solo de Bento possa ser novamente aproveitado, uma vez que o resídio de minério é infértil. Ou seja, Bento Rodrigues está fadado a virar um deserto de lama.

Resgate
Passados pouco mais de 15 dias, os bombeiros ainda buscam sobreviventes. O resgate não é fácil, já que há o risco da lama "engolir" aqueles que por sobre ela tentam andar. É preciso técnica e paciência, o que para os familiares dos desaparecidos não é nada fácil. Para piorar, chuvas fortes têm caído sobre a região. 

Desde a data da tragédia, os moradores do vilarejo em Mariana estão hospedados em abrigos, casas de famílias e hotéis, pagos pela mineradora Samarco. Toneladas de doações (roupas, calçados, água, artigos de higiene pessoal e de primeiros socorros, além de remédios e brinquedos) de todas as partes do Brasil foram enviadas aos desabrigados.

Maior tragédia ambiental do país
Como se não bastasse Bento Rodrigues ter sido "varrido do mapa" de Minas Gerais, a tragédia ainda está atingindo diversas outras cidades, em um raio de mais de 600 quilômetros, às margens da Bacia do Rio Doce (a quinta maior bacia hidrográfica brasileira), como Colatina e Governador Valadares. 

Milhares de pessoas estão sem água potável, uma vez que o abastecimento foi interrompido. A lama que se misturou às águas está repleta de ferro, alumínio, cobre, chumbo e até mercúrio. A mistura também chegou ao mar do Espírito Santo, no Oceano Atlântico, culminando em um dos maiores prejuízos ambientais da história do país. 

Algumas notícias, como a veiculada na Veja On line, informam que a lama deverá se espalhar por seis quilômetros no mar, afetando o ecossistema marinho.

Onde fica e o que fazer em Mariana

Uma das maneiras de ajudar Mariana, a mais atingida, é o turismo, uma vez que o setor é uma das fontes geradoras de renda na cidade.

Para quem não conhece, Mariana está situada a 112 quilômetros da capital mineira e a 11, de Ouro Preto. Sua importância é indiscutível já que ela foi a primeira vila, a primeira cidade e a primeira capital de Minas Gerais. Foi em Mariana que surgiu este estado com um dos povos mais acolhedores do Brasil: o mineiro.

No século XVII, aconteceu uma disputa para ver qual vila arrecadaria mais ouro. A vencedora se tornaria a capital do estado. Como Mariana era uma das maiores produtoras de ouro da Coroa Portuguesa, foi a grande vitoriosa.

Mas o que fazer em Mariana?
Estive na cidade, pela primeira vez, há quase dez anos, durante uma excursão de escola. Me lembro pouco e não tenho fotos digitais (apenas as antigas e saudosas fotos impressas). Também já passei por lá algumas poucas vezes à trabalho, já que moramos a cerca de 65 quilômetros de Mariana.

Em junho de 2016, o D&D Mundo Afora esteve em Mariana para visitar os principais pontos turísticos da cidade.

O município, que pertence à Estrada Real, tem muitos atrativos, alguns deles quase que obrigatórios de serem visitados, como: 
- igrejas (São Francisco de Assis, Nossa Senhora do Carmo, São Pedro dos Clérigos e Catedral Basílica da Sé);
- Praça Minas Gerais, com as duas famosas igrejas uma quase ao lado da outra;
- Mina da Passagem - a maior mina de ouro aberta à visitação do mundo. Para conhecer, é preciso descer uns 120 metros para dentro da terra a bordo de um carrinho. Lá dentro tem um lago e é possível aprender um pouco como é o processo de extração do ouro;
- prédio da Câmara de vereadores.

No site da RBBV tem alguns posts bem bacanas de blogueiros que já visitaram Mariana. Acompanhe:

D&D Mundo Afora, última viagem em junho de 2016
Blog Por Aí, última viagem em maio de 2015
Compartilhe Viagens, Karla Larissa, última viagem em novembro de 2014
Quero Viajar Mais, Guilherme Tetamanti, última viagem em abril de 2014
Territórios, Roberta Martins, última viagem em abril de 2014
Meu Destino, André Morato, última viagem em outubro de 2013
Trilhamarupiara, Kellen Bittencourt, última viagem em novembro de 2012
A Fragata Surprise, Cyntia Campos, última viagem em abril de 2012
Tá indo pra onde?, Fernanda Scafi, última viagem em julho de 2011
Finestrino, Anna Martinelli, última viagem em julho de 2010
Viagem pelo Mundo, Deise de Oliveira, última viagem em abril de 2010
O que vi do mundo, Carmem Lúcia, última viagem em agosto de 2007

Nenhum comentário:
Postar um comentário

Topo da página