11 de agosto de 2014
Textual description of firstImageUrl

Primeira viagem de navio

                                                                                                 Post atualizado em 20 de junho de 2016
Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro

Primeira viagem de navio - tudo que você precisa saber para fazer um cruzeiro

Por Daniela Almeida
RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES POR E-MAIL


Você já imaginou conhecer várias cidades, sem precisar trocar de hotel, sem precisar se preocupar em despachar bagagens em cada lugar, sem precisar procurar táxi, ônibus ou outro meio de locomoção para se deslocar, sem precisar se preocupar em procurar restaurantes? Pois é, isso é possível se você resolver fazer uma viagem de navio

E foi em um desses transatlânticos que eu e minha família fizemos nossa primeira viagem, digamos, oficial. Primeira porque, até então, só tínhamos viajado para casa de parentes. Nada de hotéis, novos lugares e tudo que uma viagem desse tipo pode proporcionar. Minha irmã até morou em Ouro Preto por quase dois anos, mas não considero que seja uma viagem com V maiúsculo.

A ideia dessa viagem partiu de mim, é claro! Sempre ficava olhando as fotos de tantas pessoas e imaginava que jamais poderia fazer uma viagem como essas. E isso por vários motivos: a rotina que sempre é a mesma, falta de estímulo, achar que a passagem é muito cara e tantas outras desculpas que nos acomodam. E sei que esses motivos são os mesmos de muitas pessoas.

Mas, em um rompante de "loucura", convenci minhã irmã, meu pai (que ainda estava com a gente e foi um dos que mais aproveitou a viagem) e minha mãe que nós iríamos fazer nosso primeiro cruzeiro. A ideia surgiu no começo de março de 2011 e isso foi muito providencial, uma vez que é o mês em que são abertas as temporadas no Brasil e isso, como vou falar mais à frente, pode reduzir bastante o valor da passagem.

Qual cruzeiro escolher
O primeiro passo foi pesquisar sobre os destinos, empresas que ofereciam o pacote, preços, dicas entre outras informações.

Ah, esqueci de dizer que nossa viagem foi realizada em janeiro de 2012.

Embora eu vá citar nomes de empresas, não estamos sendo patrocinados por nenhuma delas. Nossa intenção é dar dicas reais e ser fonte de pesquisa para aqueles que também querem fazer um passeio como o que nós fizemos.

Uma dica: o ideal é comprar o pacote o quanto antes (março ou abril - logo nos primeiros dias em que os pacotes são disponibilizados pelas operadoras de turismo). Isso porque, geralmente, as pessoas costumam comprar as cabines mais baratas (elas estão localizadas nos andares inferiores e não têm janela). Mas isso não faz nenhuma diferença (pelo menos não fez para nós), uma vez que você só fica nas cabines para dormir. Há aquelas com varandas, quartos anexos e outras mordomias, mas custam 3, 4 ou 5 vezes mais.

Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro
As cabines inferiores são pequenas, mas adequadas para quem quer apenas dormir

A escolha do destino e a quantidade de noites também influenciam muito no preço. De imediato, não quisemos fazer um passeio muito longo, pois vimos muitos relatos de pessoas que nem saíram da cabine por passarem muito mal. Nossa intenção foi experimentar. Então, optamos por um pacote de quatro dias e três noites, partindo de Santos, passando pela praia privativa da CVC (Mangaratiba, Rio de Janeiro), Búzios (Rio de Janeiro) e retornando para Santos. O navio escolhido foi o Zenith.

Passeios Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro
Búzios e Mangaratiba - viagem de navio

Ah, caso o navio atraque em zona portuária, como Santos, Rio de Janeiro, Salvador e tantos outros, o valor do pacote acaba saindo mais caro por conta das taxas cobradas pelos portos. No nosso caso, por não ter nenhuma parada em porto, o preço ficou muito bom. Posso dizer que o nosso passeio ficou tão barato que até hoje não acredito que demoramos tanto tempo para fazê-lo. Se não me engano, não chegou a R$ 900 por pessoa.

Entre as várias empresas que realizam o cruzeiro, optamos pela Pullmantur. Além do preço, verificamos que ela oferecia e ainda oferece o sistema tudo incluído que vai além das comidas. Nesse sistema, todas as bebidas, em qualquer horário, estão incluídas no preço. Para quem consegue, é claro, pode-se beber desde a manhã até o outro dia sem ter que pagar nada a mais por isso. É claro que algumas opções de vinhos ou espumantes mais requintados não estão incluídas. Ah, as gorjetas, que muitas empresas cobram durante o passeio, também fazem parte do pacote da Pullmantur.

Em algumas empresas - pelo que pesquisamos - você tem que pagar toda a bebida à parte. Em outras, a bebida só está incluída na hora das refeições. Então, nós vimos muitas vantagens nesse esquema tudo incluído da Pullmantur.

Decididos destino, empresa e data, faltava apenas aguardar o tão sonhado dia. Confesso que fiquei receosa de imaginar que ficaríamos quatro dias em alto mar, mas foi tudo tão maravilhoso que nossa intenção era fazer um cruzeiro a cada ano. E era isso que faríamos, caso meu paizinho não tivesse falecido quase seis meses depois, quando já estávamos, inclusive, pagando nossa próxima viagem para Buenos Aires, também de navio.

Mas........voltando ao nosso primeiro cruzeiro.

Além do preço, da comodidade e do sistema tudo incluído, os navios ainda contam com cassinos, lojas, academias, festas, shows e muitas opções de entretenimento. Por isso, é uma viagem que vale muito a pena.

Documentação necessária
Como é dentro do Brasil (no caso da nossa viagem), só é exigida a Carteira de Identidade e um cartão de crédito para que você tenha como pagar as despesas, ao final da viagem, caso consuma algo que não esteja incluído no pacote, como fotografias e lembranças.

Em viagens pela América do Sul, por exemplo, é exigida a Carteira de Identidade, mas ela deve estar em bom estado de conservação e ter sido emitida a menos de 10 anos. Caso o navio atraque em outros portos internacionais, ainda é preciso apresentar o Passaporte válido, com as regras específicas de cada país, bem como os respectivos vistos.

O tão sonhado dia
Bom, como falei, nosso ponto de partida foi o porto de Santos, em São Paulo. É preciso chegar com antecedência para fazer o check-in. A fila é enorme e é bom ter paciência. Ah, no nosso caso tivemos sorte, pois os passageiros das cabines que serão ocupadas por pessoas acima de 60 anos ou com crianças têm entrada preferencial. Então, nós entramos por volta das 13 horas, mas teve gente que às 4 horas da tarde ainda estava aguardando na fila.

Porto de Santos
Fila preferencial, que entrou primeiro no navio

A chegada
Logo que chegamos, na entrada do navio, fomos abordados pelo grupo de recreação, fazendo uma foto oficial dos integrantes da cabine. Também recebemos um crachá que serviu para abrir a cabine e registrar nossos gastos dentro do navio, como os realizados no cassino, compras de lembrancinhas, fotos, etc. É claro que nós compramos a nossa.

Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro
Foto oficial na chegada do Cruzeiro

Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro
Essa nós ganhamos por ter comprado a foto oficial do cruzeiro - viagem de navio

Todas as malas são entregues no momento do check in da mesma forma como acontece nos aeroportos (nós não deixamos as nossas e entramos com tudo - sabe aquela pessoa que nunca viajou e acha que vão sumir com todas as malas? Então. Foi isso que aconteceu. kkkk).

Depois que todos entram, a tripulação vai colocando as bagagens em frente às portas das cabines (já pensou se alguém passa e leva sua mala para a cabine ao lado???? É melhor ficar com ela mesmo kkkk).

Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro
Primeiro, todas as malas ficam em um quartinho. Depois, a tripulação começa a distribuí-las entre as cabines

Depois de entrar, é hora de conhecer a cabine e o navio....

Nossas impressões
Em primeiro lugar: nós amamos tudo. O navio é muito limpo e organizado. A tripulação é muito educada. Nota mil. A comida é maravilhosa. Apenas um ponto negativo: achamos o suco um pouco aguado (rs).


Cabine
A cabine é pequena, mas suficiente para seu objetivo: dormir... rsrsrsrs. No nosso caso, foram quatro pessoas. Eu, minha irmã, minha mãe e meu pai. Eu e minha irmã dormimos em uma cama que fica "dobrada" na parte superior (uma de cada lado) e meus pais juntaram as duas camas de solteiro.

Na foto abaixo dá para ver uma cama fechada e a outra aberta na parte superior.

Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro

Primeira viagem de navio - cabine

O que fazer dentro do navio

Depois de conhecer a cabine, tratamos de conhecer todo o navio (claro que, depois de almoçar com uma vista maravilhosa do mar à nossa frente).

Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro

O navio Zenith tem diversas coisas para você fazer: tem restaurantes para tomar café, almoçar e jantar, um inclusive com comida a la carte; tem cassinos; lojas; bar; piscinas e jacuzzis; teatro e boate.

Nós aproveitamos um pouco de cada coisa. Assistimos a espetáculos musicais; participamos de um treinamento de segurança a bordo; arriscamos a sorte em umas maquininhas do cassino; compramos nossas lembrancinhas (porque não somos bobos nem nada, né kkk); descansamos nas espreguiçadeiras e nas piscinas e comemos muiiittooo kkk!!!!

Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro

Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro


Internet e ligação
Tudo é cobrado em dólar, mesmo em território nacional. E é muito caro. Você tem a opção de comprar um pacote de dados, mas considero desperdício, pois além de muito caro, a velocidade é muito lenta e você acaba deixando de aproveitar as maravilhas do lugar. Então, relaxe!!! Deixe para compartilhar as fotos com os amigos quando chegar em casa.

Passeios e excursões
Como falei, nosso navio fez duas paradas: uma em Mangaratiba e outra em Búzios. Para descer do navio, é preciso pegar um bote (fechado). Uma dica para quem fica tonto ou enjoa com o balanço é não entrar primeiro no bote. Na primeira vez, nós fomos os primeiros e, enquanto todos entravam e o bote ainda estava parado, o mar ficava balançando muito. Nas outras vezes, deixamos para sermos os últimos, já que, em movimento, o bote ganha estabilidade e não causa incômodo.

Ah, não é preciso pagar para descer do navio. Lembro que, na época, essa era a nossa dúvida e nós tivemos muita dificuldade para descobrir isso. Então, você pode descer e subir, passear em cada lugar, sem qualquer compromisso e sem pagar nada. Geralmente, a última saída acontece por volta das 15 ou 16 horas. 

Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro

Os botes começam a sair do navio ainda bem cedo, por volta de 8 ou 9 horas, dependendo das condições do tempo. Em Búzios, por exemplo, quase não poderíamos descer porque o vento estava muito forte. Quando conseguimos sair do navio, já era quase meio-dia. Além disso, esses barcos vão e voltam constantemente entre a praia/cidade e o navio.

Bote Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro


Os horários e programações estarão disponíveis todos os dias em um informativo entregue em todas as cabines.

Passeios contratados dentro do navio - dentro do navio existe um espaço destinado à venda dos pacotes de passeios para você fazer em cada parada. Um conselho: deixe para comprar quando descer. Dentro do navio é muito mais caro.

Lembro que em Mangaratiba (ilha privativa), minha irmã conseguiu um bom desconto para descer de tirolesa junto com meu pai. Também era possível comprar passeios de barco para conhecer diversas ilhas próximas, mas nós não fizemos.

As fotos abaixo são de Mangaratiba, na ilha privativa.

Mangaratiba RJ

Ah, se você estiver com um orçamento apertado, evite consumir comida e bebida fora do navio. Por quê? Primeiro, porque você já está pagando um pacote com tudo incluído. Depois, porque é tudo muito caro nas praias e nos pontos de parada. Uma água de coco em Mangaratiba, por exemplo, custava, na época, R$ 8 reais. Um pastel, R$ 6 reais. E por aí vai.

Nós até compramos alguns itens para comer lá na praia, mas, por volta do meio-dia, voltamos para o navio para, realmente, almoçarmos.

Em Búzios, nós descemos e compramos um pacote para conhecer os principais pontos turísticos em um buggy. Muito mais barato do que os passeios oferecidos dentro do navio. Por R$ 100 reais, nós quatro rodamos pelos principais lugares da cidade.

Búzios RJ


Compras
O navio possui várias lojas para você que não pode deixar de comprar, pelo menos, uma lembrancinha para a família, assim como foi o nosso caso. Vale lembrar que as lojas, bem como o cassino, só funcionam enquanto o navio está em movimento. E tudo é vendido em dólar, que você paga ao final da viagem em dinheiro ou no cartão de crédito.

Jantar
Logo que você compra o pacote, a operadora de turismo vai te perguntar qual é o seu horário de preferência para o jantar. Calma, você pode comer a qualquer hora e em qualquer lugar. Os navios têm vários restaurantes que atendem a todos os gostos, além dos bares e cafés. Mas você também tem direito a um jantar mais requintado, a La Carte

Ao todo, no navio que fomos, eram oferecidos dois turnos. Tudo muito chique e vale muito a pena. Os garçons foram muito simpáticos e teve até um momento de descontração, quando nós participamos de uma dança e circulamos por todo o salão. Muito divertido.

Como já disse anteriormente, apenas algumas bebidas mais requintadas não estavam disponíveis no sistema tudo incluído. Era preciso pagar por elas. Mas havia dezenas de opções de vinhos e espumantes que estavam liberadas. E nós fizemos nossas poses, durante o jantar (a cara da riqueza, hein!!! kk).

Navio Zenith - Primeiro Cruzeiro


O que levar em um cruzeiro - Roupas
O que levar para um cruzeiro? Se você é como eu que fica na dúvida toda vez que vai viajar, posso dizer: leve o mínimo possível. Todas as vezes que viajei, levei muita roupa e não usei nem a metade.

Em um navio, que você para em praias e fica na piscina, você deve levar o essencial: shorts, biquínis, vestidos, cangas, regatas. É preciso levar uma roupa para a noite, pois os navios têm boate, jantares, festa de gala e teatro. Então, convém levar algo para essas ocasiões, além de roupa para você fazer os passeios, caso queira conhecer alguma cidade, além das praias.

O retorno
Depois de tantas aventuras, descobertas e muitas mordomias, chegou a hora de voltar para casa e para nossa realidade......Todos os passageiros precisam deixar suas malas na porta da cabine, na noite anterior ao desembarque. Desta vez, mesmo "morrendo" de medo, deixamos as nossas (e deu tudo certo kkk).

No domingo, nosso último dia, tivemos que desocupar a cabine por volta das 8 horas, mas ficamos usufruindo de tudo até o meio-dia.

Como falei, nosso ponto de partida foi o porto de Santos, uma vez que São Paulo é a nossa cidade (já que moramos nela por muitos anos) e porque conhecemos tudo por lá. Achamos mais cômodo, pois deixamos o carro em casa de parentes.

De carro ou de avião
Quem vai de carro, pode deixá-lo em estacionamentos próximos ao porto de Santos.  Existem vários deles por lá, mas, apesar disso, é bom olhar com antecedência sobre a possibilidade de haver vagas na data de sua viagem. 

Para quem vai de avião, o Porto de Santos não é um ponto de partida muito logístico. O aeroporto fica em São Paulo, longe de Santos. Então, ou você pega um táxi até lá, o que vai ficar muito caro, ou um ônibus (nada cômodo).

Por isso, sugiro que a partida seja feita de algum porto em que a locomoção seja mais fácil, como o do Rio de Janeiro, por exemplo, onde o aeroporto é próximo. Digo isso, porque amigos nossos fizeram também o primeiro cruzeiro no começo de 2014 e foram pela cidade maravilhosa. Fica a dica.



video
Show no primeiro dia de cruzeiro - 2012




2 comentários:
  1. Valeu, obrigada, vou viajar pela primeira vez e vou seguir seus conselhos.
    Obs: sinto muito por seu pai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria Luisa. Que bacana que vai viajar. É um passeio maravilhoso. Amamos. E que bom que o post esteja te ajudando. Se precisar de mais alguma dica, é só chamar!!!! Obrigada pelo meu pai. Foi triste. Ele se divertiu muito. Ainda bem que pudemos proporcionar isso a ele.

      abraços e boa viagem!!!

      Excluir

Topo da página

Receba nossas novidades em primeira mão

BAIXE GRÁTIS TAG's DE MALA PERSONALIZADAS